domingo, 20 de junho de 2010

Por que você me lê?

Após muito tempo longe daqui, resolvi voltar. Revendo anotações no meu caderno, dei-me conta da quantidade de coisas que já acontecerem esse ano. Ele foi comprado exatamente no dia 4 de Janeiro de 2010 e parei para olhá-lo neste sábado de Junho. Nele estão desde exercícios em inglês, passando pelas aulas teóricas da faculdade e chegam em cartas para parentes, pessoas queridas que deixei de alguma forma. Rascunhos para o Sambuteco também estão lá, mas ainda quietos e mudos, esperando a hora de alguém dar-lhes voz.

Recentemente perguntei-me sobre o porquê de possuir um blog. Pensei seriamente em encerrar a conta e fechar essa "mesa de bar" aberta em 2008. Mas, como dessas coisas que não sabemos explicar, recebi uma mensagem de um amigo. Li que ele aguardava com ansiedade uma nova publicação. Inquieto, passei a repensar tal conduta. Na última vez que visitei a terrinha, colocando o papo em dia com os amigos de sempre, um deles me disse que indicara meu blog a um amigo e que esta terceira pessoa conseguia se ver em minhas letras.

Ora, novamente inquiri-me, quantos se dão ao trabalho de "destravar a fechadura"? Se você não vem com a chave para este blog, talvez fique somente no jardim da entrada.
Não importa o número de pessoas que se sentem satisfeitas com minhas delongas, se lhes trago alento, de alguma forma cumpri minha missão. Fidelizar você, simpático leitor, foge de minha alçada, mas se consigo, agradeço-lhe. Talvez seja uma maneira de não nos sentirmos tão sozinhos nesse mundão, que as vezes é tão mundinho.

Mudemos de assunto.

Copa do Mundo. Só tenho uma coisa a dizer: para quem assistiu a de 2006 na pacata Andradas, a de 2010 está sendo uma fúria de emoções. Como é gostoso ver todos naquele sentimento, aquele clima de que tudo vai dar certo no fim. E pode dar, porque não?

Fim de semestre: sensação de dever cumprido: é como tirar alguém do pé de seu ouvido, lembrando-lhe dioturnamente daquele trabalho, daquele texto, daquela prova ... Regozijo por ter conseguido superar.

Férias: realocar ideias, fazer planos, repensar para começar um segundo semestre. Sempre será assim, toda a jornada, temos que nos acostumar.

Férias 2: não sei se a terei de fato, tomara que não, tenho melhores planos para o ócio produtivo de Julho.

Férias 3: foram exatamente três férias de expectativa. Agora, ao que parece, serão tranquilas. Mas, não pense que o silêncio conforta. As vezes esconde, ou é apenas por não ter o que dizer.

Chega.

Já é tarde. Outro sábado que passo por aqui. Este, em especial, com a perda de Saramago e ao som de Radiohead é um pouco triste, longe do habitual. Amanhã, como o próprio mestre já escrevera "será mais um dia para alguns", para mim também, e que seja de alegria e vitória.

2 comentários:

Mimete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alba disse...

cara... parabéns pelo blog! Seus textos são aquilo que a gente sempre pensa em dizer mas não sabe bem como. Adorei seu jeito de escrever!